sexta-feira, 17 de maio de 2019

COMDEF PROMOVE REUNIÃO EM BUSCA DA INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO

Por iniciativa do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência – COMDEF – foi realizada, no auditório da Secretaria de Educação, na quinta-feira (16mai19) com a finalidade de discutidas estratégias visando à inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho de Jequié. Atualmente, estima-se que este número tenha saltado para, cerca de, 15 mil pessoas, de acordo informações da Prefeitura. “Apesar de termos um número grande de pessoas com deficiência, nós temos um número baixo de pessoas com deficiência trabalhando”, disse Evandro Sérgio Souza Brandão, representando a Associação dos Deficientes Físicos de Jequié – ADFIJ, ao destacar a importância do grupo de trabalho, ora proposto pelo COMDEF, buscando minimizar esses números a partir da inclusão no mercado de trabalho.
A reunião contou com a participação de membros das secretarias municipais de Educação. Saúde; Desenvolvimento Social e a de Desenvolvimento Econômico, além de representações da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-Jequié); Associação Industrial e Comercial de Jequié (ACIJ); Núcleo de Prevenção e Reabilitação Física de Jequié (NUPREJ); do Instituto Euvaldo Lodi (IEL); do Centro Regional de Referência em Saúde do Trabalhador de Jequié (CEREST), do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), dentre outras.
“O primeiro papel nosso é articular, junto a sociedade e com o mercado de trabalho para que eles entendam a importância. E o segundo papel é garantir a efetivação das políticas públicas para as pessoas com deficiência; então, mostrar à sociedade que, de fato, essas pessoas não são apenas pessoas com deficiência, mas são multitarefas, com habilidades potencializadas em outras áreas de conhecimento e provocando a aplicação prática de políticas públicas para que leve mais dignidade, mais acesso ao emprego, mais geração de renda, e que as empresas percebam o quão elas podem ter de benefícios com essas pessoas trabalhando”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico, Celso Galvão. (Jequié e Região)

Jequié terá segundo Dia D de vacinação contra gripe; 17.661 já foram vacinadas no município

A Prefeitura de Jequié através da Secretaria de Saúde estará promovendo o segundo Dia D de Vacinação contra a gripe. A data da vacinação será 25 de maio, das 8h às 14, nos Centros de Saúde municipais. Será atendido o público que deixou de comparecer às etapas anteriores. Até agora foram vacinadas em Jequié 17.661 pessoas, cerca de 40% do público alvo.  Mesmo com esse segundo Dia D, a vacinação em todas as unidades de Saúde seguirá  normalmente, durante a semana, nos horários de expediente, até o dia 31 de maio. (Jeqwié Repórter)

Santa Casa de Jequié comparece à solenidade de 450 anos da Santa Casa de Macau

Dr. Geraldo Leite representam Canta Casa. Foto: Divulgação
A Santa Casa de Jequié representou, nesta sexta-feira (17), as instituições filantrópicas de saúde do Brasil na solenidade de encerramento dos 450 anos de fundação da Santa Casa de Macau, na China. A cerimônia reuniu os principais líderes das Santas Casas de todo o mundo, além de autoridades chinesas.
Durante o ato solene, o presidente da Fundação José Silveira, Dr. Geraldo Leite, acompanhado do presidente da Frente Parlamentar das Santas Casas, deputado federal Antonio Brito (PSD/BA), presenteou o provedor da Santa Casa de Macau, António Freitas, com um quadro que retrata a fachada da Santa Casa de Jequié, a última construída no Brasil, que ficará exposto nos anais da galeria da instituição chinesa.
Não é a primeira vez que a Santa Casa de Jequié ganha projeção internacional. Em setembro de 2016 a entidade teve sua flâmula abençoada pelo Papa Francisco, no Vaticano, durante o Jubileu dos Operadores e Voluntários da Misericórdia. (Marcos Frahm)

CORRIDA E CAMINHADA SANTO ANTÔNIO DIA 2 DE JUNHO


quinta-feira, 16 de maio de 2019

Licor da Lena.

Cursos e Oficinas - Associação dos Panificadores de Jequié.

Nenhuma descrição de foto disponível.

TVE transmite finais da Série B e Baianão Sub-20 neste final de semana



A parceria firmada entre a Federação Bahiana de Futebol e o Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (IRDEB), em 2017, segue fortalecida. Neste final de semana, a TV Educativa (TVE) estreará as transmissões das competições estaduais em 2019.

O pontapé será dado neste sábado (18). Às 15h, Canaã e Bahia iniciam a disputa do título do Baianão Sub-20. A TVE transmitirá a partida de ida da final, no Estádio Joviniano Dourado Lopes, em Irecê.

Já a segunda transmissão do ano acontecerá no domingo (19). Também às 15h, Doce Mel e Olímpia fazem o primeiro confronto da decisão da Série B do Baianão 2019. Além do título, as equipes também disputam o tão sonhado acesso à Série A.

Todos os detalhes das duas decisões poderão ser acompanhados na Bahia e no mundo. Além da telinha da TVE, em alta definição, o torcedores também terão à disposição o Facebook oficial da emissora (/tvebahia), o YouTube (/tvebahia), o Twitter (/tvebahia) e portal www.tve.ba.gov.br/tveonline.

Os telespectadores poderão interagir por meio das redes sociais, utilizando as hashtags #Sub20NaTVE e #SérieBNaTVE. (FBF)

Catingal: O silêncio do Sino


Foto: Paulo Oliveira | Meus Sertões
Reportagem de Paulo Oliveira | Meus Sertões
Maria do Carmo Meira Melo, a Carminha, 71 anos, não se conforma com o silêncio do sino da capela Nossa Senhora da Purificação, construída por sua família na segunda metade do século XIX, no centro de Catingal, atual distrito de Manoel Vitorino (BA). O templo dedicado à Nossa Senhora da Purificação também servia de cemitério para a família Meira e foi erguido em um local onde existia uma lapinha com altar onde eram celebradas missas nas terras que pertenciam ao capitão Rodrigo de Souza Meira Sertão.
Carminha é do tempo em que o sino da igrejinha anunciava missas, batizados, novenas, mortes, velórios e sepultamentos nas Volta dos Meira, antigo nome do distrito. Ela mesmo acionou o dispositivo muitas vezes antes de um padre chegar à cidade e desautorizar as batidas, seguindo as regras da Igreja Católica, que não permite fazer celebrações fúnebres em locais onde é realizada a eucaristia.
A CONSTRUÇÃO
O advogado Yuri Rocha Meira Magalhães, que guarda documentos e conhece bem a história da família, revela uma carta de Donatilla Maria de Castro Meira, neta do capitão Rodrigo, datada de 6 de novembro de 1902. Nela, a autora conta que a capelinha foi erguida nas terras que o avô cedeu a uma mulher chamada Ester.
No texto, Donatilla, a Sinhá Titila, católica fervorosa, afirma que o templo foi construído por seu pai, o major Martiniano de Souza Meira, e contou ainda com o dinheiro arrecadado em leilões e esmolas. Anos depois, o militar realizou uma reforma que custou 400 mil réis. Ela também se queixa que a família deixou de fazer doações para a manutenção da igreja, apesar de seus insistentes pedidos.
Uma lei imperial proibia os sepultamentos no interior de igrejas desde 1825. Outra decisão estabelecia que  seriam cobradas multas por abertura de sepulturas. Nem isso fez os pioneiros de Catingal recuarem. Os enterros  pararam no fim da segunda década do século XX.
Lá foram enterrados, dentre outros, o capitão Rodrigo (1872) e o coronel Martiniano “Nonô” Meira Castro. Segundo a comerciante Rita de Cássia Guimarães, 73 anos, descendente de Nonô e ex-zeladora da igreja, o militar fez questão de ser sepultado com o traje de honra do Exército, cujos galões, cordões e tranças eram feitos com fios de ouro.
Yuri conta que a sepultura de Nonô foi coberta após uma obra no piso. No entanto, os túmulos da “innocentinha Elisabeth”, primogênita de Martiniano e Sinhazinha, morta com pouco mais de três meses de idade; de Leonildo Pereira de Mello; de outra criança – Mariolinda de Vasconcelos Meira – e de Mário Meira Castro estão bem visíveis.
A SANTA
No altar da igreja há uma imagem de Nossa Senhora da Purificação. Yuri conta que existe a versão de que ela foi benzida pelo papa. Já outros moradores relatam que a imagem original, proveniente de Portugal, teria sido roubada.
Embora histórica, a igreja dos Meira passa a maior parte do tempo fechada. Abre apenas para a missa semanal e já não é o principal templo do distrito. (Portal Catingal)

COMDEF no lançamento da Campanha pela inclusão de pessoa com deficiência no mercado de trabalho

“Sou Capaz” –  é o tema da Campanha pela Inclusão da Pessoa com deficiência no Mercado de Trabalho que estará sendo lançada às 9h no auditório da Secretaria Municipal. O evento promovido pelo Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência -COMDEF, conta com apoio da Prefeitura de Jequié.
Lei – A instalação de banheiros químicos acessíveis para pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida será obrigatória em eventos públicos ou privados. Pela Lei 13.825, de 2019,  publicada na terça-feira (14) no Diário Oficial da União, 10% dos banheiros de eventos terão que ser adaptados para uso de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Ainda de acordo com a norma, em casos em que a porcentagem mínima não represente uma unidade, pelo menos um banheiro terá que ser instalado. Apesar de já estar em vigor, a legislação federal ainda precisa ser regulamentada já que não há sanção prevista para quem infringir a norma. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que mais de 20% da população brasileira tem algum tipo de deficiência. (Jequié Repórter)

Estudantes e professores realizaram manifestação contra contingenciamento na educação

Aconteceu nesta quarta-feira (15), em Jequié, uma manifestação de professores e estudantes contra o contingenciamento anunciado pelo MEC nas universidades e institutos federais. O protesto, que teve início nesta tarde na Praça Rui Barbosa, contou com grande presença popular, de sindicatos, movimentos sociais e estudantis. As manifestações aconteceram em pelo menos 192 cidades do país e também paralisaram escolas e faculdades.
Entenda o caso: existem basicamente dois orçamentos na educação, são os chamados de gastos obrigatórios e gastos discricionários. Os obrigatórios correspondem em média a 88% do orçamento e não são passíveis de cortes, já os discricionários correspondem em média a 12% da verba destinada as faculdades e institutos e esse dinheiro é administrado pelo reitor. No início do mês, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciou que a pasta iria bloquear 24,84% dos gastos não obrigatórios dos orçamentos das instituições federais. Essa verba contingenciada é destinada ao pagamento de contas de água, luz, compra de material básico e também para pesquisas. Vale ressaltar, que as verbas obrigatória não podem sofrer cortes ou ser contingenciadas, essas verbas são destinadas a pagamento de salários e aposentadorias e não serão afetadas pelo contingenciamento. Reitores de diversas universidades do país afirmaram que se a verba não for liberada pelo governo as faculdades e institutos terão dificuldades para pagarem as contas básicas de funcionamento. Mesmo com a pressão, o governo federal deve manter o contingenciamento, como afirmou hoje o presidente Jair Bolsonaro e o ministro Abraham Weintraub. (Jequié Repórter)

Prefeito de Jequié assina ordem de serviço para construção dos abrigos para pontos de ônibus

Sérgio da Gameleira assina ordem de serviço. Foto: Divulgação
Com o objetivo de proporcionar mais comodidade e melhores condições de segurança às pessoas que utilizam o transporte coletivo, o prefeito de Jequié, Sérgio da Gameleira, assinou, na tarde desta quarta-feira (15), no salão nobre da Prefeitura de Jequié, a ordem de serviço para a instalação dos abrigos para os usuários do transporte coletivo municipal, que serão distribuídos em pontos de ônibus localizados em diferentes regiões da cidade.
Estiveram presentes o secretário de Governo, Alexandro Santos; o secretário de Infraestrutura, Daniel Muniz; o secretário de Relações Institucionais e Comunicação Social, Vinícius Silva Oliveira; os vereadores José Augusto Aguiar, o Gutinha; Valdemir Souza Braga, o Pastoleiro; Márcio de Oliveira, o Marcinho; representantes da Gusmão e Silva Construtora LTDA-ME, empresa que ganhou a licitação pública para execução dos abrigos.
Com estruturas modernas e resistentes, os equipamentos irão oferecer mais conforto aos usuários do transporte coletivo urbano. Ao todo serão executados cerca de 170 abrigos, sendo que nesta primeira fase de execução serão 20 unidades, e os primeiros que serão construídos ficarão no ponto de ônibus da Praça Soldado Jurandy Oliveira, em frente à agência dos Correios, no Centro, onde se concentra um grande número de usuários do transporte público. As outras coberturas serão instaladas, de acordo com um cronograma de execução, em outros locais. (Marcos Frahm)

COMANDANTE-GERAL DA PM DA BAHIA CUMPRE EXTENSA AGENDA DE ATIVIDADES EM JEQUIÉ

O comandante-geral da Polícia Militar da Bahia, coronel Anselmo Brandão, cumpriu extensa agenda de atividades em Jequié nesta quarta-feira (15mai19), quando visitou o 19º Batalhão da Polícia Militar, onde está sendo construída uma pista de atletismo; o Colégio da Polícia Militar (CPM) no Joaquim Romão e as obras das futuras instalações do CPM no Jequiezinho; a sede da Cipe Central e o Centro de Equoterapia de Jequié, no Parque de Exposições Luís Carlos Braga. O comandante esteve acompanhado por vários oficiais a exemplo dos tenentes-coronéis Silvério e Itamar Gondim, do major Fábio Rodrigo, além de um grupo de vereadores dentre outros. o presidente da Câmara, Emanuel Campos Silva – Tinho, informou que o governo estuda a possibilidade de firmar parceria no sentido de implantar em duas ou três escolas municipais em comunidades populares sistema semelhante aos dos Colégios da Polícia Militar da Bahia. A inauguração do Centro de Equoterapia, agora sob o comando do 19º BPM, foi adiada para data a ser anunciada. (Jequié e Região)

Companhia de teatro jequieense, o Candeeiro Encantado, conquista prêmio Braskem de Teatro

A Companhia de Teatro Candeeiro Encantando, grupo natural de Jequié, foi anunciada como uma das vencedoras da premiação de teatro mais importante da Bahia: o Prêmio Braskem de Teatro. A premiação, que este ano chegou a sua 26° edição, aconteceu na última quarta-feira (15), no teatro Castro Alves, em Salvador. O Candeeiro Encantado concorreu à premiação com o espetáculo “O Teatro é de Cordel”, que conta com a apresentação cênica e musical da literatura de cordel, esta apresentação venceu na categoria de melhor espetáculo do interior da Bahia.
O Candeeiro Encantado, que surgiu em 2011 com intervenções artísticas nas ruas, bares e praças, é atualmente composto pelos artistas: Jomir Gomes, Palmeron Andrade, Matheus Xavier, Marcos Duarte e Saulo Ilogoni, que além de atuar também dirige o espetáculo. O ator Jomir Gomes comemorou a premiação do prêmio mais importante no teatro baiano. “Esse prêmio é muito importante para afirmar que nós que somos do interior e fazemos um trabalho com a arte tão comprometida quanto em qualquer capital, talvez até melhor pois fazemos com mais paixão”, afirmou o artista Jomir Gomes. (Jequié Repórter)

quarta-feira, 15 de maio de 2019

Experiência e espírito vencedor de Elias Borges contagiou elenco do Doce Mel

Foto: Divulgação
Crônica/Por Romário Henderson
Elias Borges não foi a primeira opção para comandar o Doce Mel Esporte Clube, chegou após a precoce demissão do técnico Paulo Salles, em um momento de instabilidade do clube, que frequentava a parte de baixo da tabela, embora embolado com outras três equipes. Elias tinha cinco partidas para colocar o time na final, cinco jogos em que ele autodenominou cinco finais. Sua experiência em acessos e ótimos trabalhos em outras equipes, além de seu espírito vencedor, foram um divisor de águas para dar uma injeção de ânimo no elenco, que reagiu favoravelmente.
O retrospecto de três vitórias e dois empates credenciaram o Doce Mel a disputar uma inédita final, cujo acesso é plenamente possível. Com Elias, o time fez mais gols, foram oito no total, e sofreu metade, apenas três, média de menos de um gol sofrido por jogo. Seus viés ofensivo, sua coragem nas alterações, sua audácia em ver o time ser contundente não desequilibrou a defesa, que esteve quase impecável sob o seu comando. Elias Borges tem o grupo nas mãos. Os atletas demonstram confiança em seu trabalho e em suas orientações. O time está coeso, bastante concentrado e focado para alcançar o objetivo.
Foi com Elias que o Doce Mel venceu jogando fora de casa; marcou três gols em um mesmo jogo; corrigiu o problema da lateral esquerda; e é com ele que o acesso à primeira divisão está às portas para acontecer. Como um treinador que tem as costas largas e sabe como é o futebol, deverá blindar os jogadores do frenesi da torcida, para que o grupo mantenha os pés no chão, e com humildade e respeito pelo adversário, consiga cumprir o seu papel e, ao final, trazer o título e a ascensão à elite para todos os apaixonados torcedores ipiauenses.

Museu Histórico de Jequié integra programação da 17ª Semana Nacional de Museus



Fazendo parte, pela primeira vez, da programação oficial da 17ª Semana Nacional de Museus, com os objetivos de promover, divulgar e valorizar os museus brasileiros, aumentar o público visitante e intensificar a relação dos museus com a sociedade, a Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Cultura e Turismo, promoverá, no Museu Histórico João Carlos Borges, atividades gratuitas, até o próximo dia 17.
A Semana Nacional de Museus é uma temporada cultural, coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), que acontece todo ano em comemoração ao Dia Internacional dos Museus, que é celebrado no dia 18 de maio. A 1ª Semana Nacional de Museus, que ocorreu em 2003, teve 57 museus inscritos e 207 eventos. Já em 2017, sua 15ª edição, contou com a participação de 1.070 instituições e 3.079 eventos. Nesta edição, 1.114 instituições de cultura, de todo o país, oferecem ao público 3.222 atividades especiais como visitas mediadas, palestras, oficinas, exibição de filmes, debates e apresentações musicais.
De acordo com o secretário de Cultura e Turismo, Alysson Andrade, o Museu Histórico de Jequié está integrando a programação nacional com a realização da exposição ‘Nossa gente, nossa história’, aberta ao público, das 8h às 18h; além da execução, nesta quarta-feira, dia 15, às 15h, de mais uma edição do projeto ‘Cine Museu’, com a exibição pública do documentário ‘1798: Revolta dos Búzios’, dirigido pelo cineasta baiano Antônio Olavo.
Com o tema ‘Museus como Núcleos Culturais: o Futuro das Tradições’, a 17ª Semana de Museus propõe um debate sobre o papel dos museus como centros emanadores e, igualmente, receptores de práticas, costumes e pensamentos de nossa cultura.
“Precisamos valorizar, cada vez mais, a nossa história, propiciando aos espaços culturais e artísticos, como o nosso Museu Histórico João Carlos Borges, o cuidado atencioso que ele merece. Quando chegamos, o espaço estava fechado. Foi, então, reativado e vem recebendo programações que procuram mobilizar as pessoas para sua existência, provocando a visitação que, a cada ano, é sempre crescente. Desde o incêndio do Museu Nacional, no Rio de Janeiro, e recentemente da Catedral de Notre Dame, em Paris, que se faz necessário reiterar a fundamental importância de um museu para a sociedade onde o indivíduo está inserido.”, destacou o secretário de Cultura e Turismo, Alysson Andrade.
A programação do Museu Histórico de Jequié, que integra a 17ª Semana Nacional de Museus, disponibilizada no dia 2 de maio, pode ser acessada no portal oficial do Instituto Brasileiro de Museus, ou através do link: http://www.museus.gov.br/programacao-da-17a-semana-nacional-de-museus-ja-esta-disponivel/ . (PMJ)

Esporte Clube Mandacaru estreia com derrota no retorno ao futebol amador de Jequié.


Jogadores do Esporte Clube Mandacaru, dirigentes da liga, diretores do clube, 
Charles Meira, Arlécio e torcedores.
Jogadores do Strong City, diretores da liga, diretores do clube, Arlécio e torcedores.

Na manhã deste domingo (12/05/2019), a equipe principal do Esporte Clube Mandacaru voltou a disputar uma competição oficial do futebol amador de Jequié. O time que é presidido por Missinho, jogador da equipe da base até o máster, que estava parado desde o ano de 1988, jogou sua primeira partida no Campeonato Amador do Mandacaru de 2019. Desde a chegada até entrar em campo, acompanhada de solta de fogos por um bom número de torcedores antigos, novos e de seus atuais dirigentes, o retorno do da equipe do Mandacaru foi cercada de muita expectativa e esperança de uma boa esteia do "Tubarão Azul" na competição. A partida foi realizada no Campo do Cerezão e arbitrada por Davi Sande e auxiliares. 
O jogo começou com o time do Strong City mais eficiente no ataque e depois de uma falha do setor defensivo do Mandacaru , aconteceu abertura do placar. Em seguida, o "Tubarão Azul" não se abateu e foi para o ataque, sufocou o adversário e conseguiu empatar a partida, resultado que permaneceu até o término do primeiro tempo. O segundo período começou com a equipe do Strong City tomando a iniciativa do jogo e logo nos primeiros minutos aconteceu uma falta perigosa na entrada da área do Mandacaru, que foi cobrada com perfeição pelo camisa 10 e convertida, desempatando a competição. A seguir o Mandacaru adiantou o seu time e pressionou o adversário, que era perigoso nos contra-ataque. Com um sol escaldante os jogadores começaram a cair, sentindo câimbras, cansaço, paralisando por demais o jogo, que ficou muito truncado, pegado e sem muitas iniciativas dos times. O Mandacaru foi melhor no segundo tempo, porém não consegui ser eficiente nas poucas finalizações que surgiram. Com um acréscimo de sete minutos o jogo Mandacaru 1 X 2 Strong City foi encerrado pelo árbitro, que teve uma boa atuação durante os mais de noventa minutos jogados. Alegria para os torcedores, jogadores e dirigentes do Strong City e tristeza para os do Mandacaru, que mesmo o seu time realizando um bom jogo não foi premiado com uma vitória no retorno do "Tubarão Azul" no campeonato amador do bairro do Mandacaru.

Davi Sande e seus auxiliares.
Diretores da Liga do Mandacaru, Davi, auxiliares e Arlécio.

Torcedores assistindo o jogo.

Comentarista Waldemir Vidal e o Museólogo
Antônio Varjão,
prestigiando o evento.


terça-feira, 14 de maio de 2019

Missinho, presidente do Esporte Clube Mandacaru.

                                                       Charles Meira
Missinho e Luizão.
Missinho e Charles Meira.

Nas visitas feitas ao vizinho Luizão na sua residência neste ano de 2019, o cantor Charles Meira viu algumas fotos e ficou sabendo que seu amigo além de trabalhar nos Correios, jogou no futebol amador de Jequié. Durante o longo bate-papo, o cantor mencionou para Luizão o desejo de entrevistar Missinho, atual presidente do Esporte Clube Mandacaru, time que Hércules Alves Meira, tio de Charles foi o primeiro presidente. O vizinho, que conhece o atual Pintor de Automóveis, prontificou-se em marcar o encontro. No dia 16/03/2019, Charles Meira e Luizão, estiveram na residência de Missinho e a entrevista foi realizada.
Missinho, Jogador da Associação Desportiva Jequié na década de 70.
Edmilson Rodrigues as Silva, mais conhecido por Missinho, nasceu em 19/10/1955 em Jequié – BA, casado com Maria Helena da Silva e tiveram dois filhos. Inicialmente contou que foi jogador da Associação Desportiva Jequié desde quando a base foi formada. Com 17 anos jogou nos juniores, comandado por Vandé, time que tinha os jogadores: Elias, Missinho, Flávio, Antenor, Zezinho, Nelsinho, Inho, Étu, Franco, Marinho. Biláu e atuaram em 1974 no Campeonato Baiano de Juniores em Feira de Santana, Itabuna, Vitória da Conquista. Em 1975, como amador e sem ganhar salario, apenas recebendo bicho e ajudas de colaboradores jogou no time principal do Jequié, equipe formado na época por: Betinho, Missinho, Valtinho, Sói e Julival. Vadinho, Chiquinho Lopes e Ademir. Fáu, João Pezão e Salvador, treinada por Nivaldo Santana e presidida por Gilson Fonseca. Missinho deixou o time do Jequié no ano de 1977, quando desentende-se com o técnico Geraldo Pereira.

Missinho, presidente do Esporte Clube Mandacaru.

Em seguida passou a contar a história do Esporte Clube Mandacaru, dizendo que segundo os seus primos que jogaram no time como: João Potó, Dema, Luno e a família Ferreira, conta que o time do Mandacaru, nasceu na “Oficina Aparecida”, considerada grande para a época, empresa do senhor Hércules Alves Meira, idealizador e grande fundador do Esporte Clube Mandacaru e do seu irmão João Batista Alves Meira, que não era envolvido com futebol. O Mandacaru foi fundado em 13/05/1961, incialmente jogando amistosos. No primeiro jogo, realizado na cidade de Manoel Vitorino, local que o senhor Hércules tinha um posto de gasolina, o resultado foi Mandacaru 2 X 1 Humaitá, equipe profissional da cidade de Vitória da Conquista. Na ocasião o time recebeu um belo troféu, que tinha a data da partida e encontra-se desaparecido e a escalação do time tinha jogadores da família Ferreira, Costa e da família de Missinho como: Zenaldo, João Potó, Bruno, Dema, Dilton, Jaime, Zé Antônio e o goleiro Gilberto, torneiro que trabalhava com seu Hércules. Em seguida o time filiou-se a Federação Baiana de Futebol e começou a disputar o Campeonato Amador de Jequié, tendo sempre as categorias de juniores, aspirante, principal, máster e um quadro de sócios que colaborava fielmente com a instituição.

Em Pé: Jaime, Iga, Bruno e Dedega.
Agachados: Solteirão, Zequinha, Miu, jogadores do Mandacaru na década de 60 e Charles Meira, o mascote do time.
  E. C. Mandacaru, início da década de 60.
Em pe: Zé Cardeal, Salvador, ----- , -----, Iga, Vela, Jaime, João Potó,
  Sr. Ferreira, Socorro, Leopoldo, Gel e Orlandão.
Agachados:  -----,  Zezito, Dema, Diltão, ----- e Zenaldo.

E. C. Mandacaru, início da década de 60.
  Em Pe:  Miguel Cruz, Zenaldo, Santo Tuturim, Osorio. Bita, João Potó,
Iga, Deraldo e Hilario. 
Agachados  Nilton Torres, Guidinho,Tiufi, Editon, Xavier,
Neu Ferrador e Paulimho de Santa Inês.
E. C. Mandacaru no ano de 1967.
Em pé: Gel, Zenaldo, -----, João Potó, -----, Hilário, -----, Rui, Geová Titirrane
e Fernando Maquinista.
Agachados: -----, Néo de Otíla, Zezito, -----, Dema, Diltão e -----.

E. C. Mandacaru no ano de 1969.
Em pé: -----, Moura, Magno, Paulo, ------, Jaime e -----.
Agachados: Cleber, Hilário, Petrônio, Herval Peru, Pelé Cotó, e Quito.

Jacozinho, jogador de destaque nacional que atuou no E. C. Mandacaru. 
  Em Pe: Zé Carlos, Nelito, Nengo, Pedro, -----, Nenem, Valtinho, Supapo,
Cambuí, Neo, Sói e Babi. 
Agachados: Tito,, Jacozinho, Zoro, Alagoano, Cobrinha, Moreira, Toninho e Missinho.

No time do Mandacaru desde a sua fundação já jogaram mais de 2000 atletas e alguns deles destaque na Bahia e em outros estados como: Detinho, que foi jogador do Vitória e Santa Cruz. Iga, que jogou no Bahia, Vitória e Ipiranga. Jacozinho, que jogou no Jequié e no CSA de Alagoas. Bajara, grande guardião do time e jogou no Jequié. Nelito, Getúlio, Nem, Chiquinho Lopes, jogou no Jequié, Gilson Fonseca, Petrônio, Cleber e Ige.

E. C. Mandacaru, bi-campeão de aspirantes de Jequié no ano de 1962,
jogando no estádio Aníbal Brito.
Na foto: Edinho, Israel, Janildo, Edmundo, Antônio e Esquerdinha.
E. C. Mandacaru no ano de 1990.
Jogadores do Passado: Diltão, João Potó, Edinho, Iga e Janildo.
 Presente: Rogério, Jôse, Espinho e Maguila.
Futuro: Anderson, Léo, Gerson, Cacau e Lando.
E. C. Mandacaru, vice-campeão de Juniores da A. R. D. M no ano de 1991.
Em pé: Cid, Barrão e Leley. De Joelho: Tico Peu e Willker. Sentados: Dodone, Juqvinha, Robson, Espino e Waldir.

Durante a sua trajetória vitoriosa no futebol, o Mandacaru conseguiu vários título. Sua equipe de Juniores foi vice-campeã do Campeonato de Jequié, bi-campeã de aspirantes de Jequié no ano de 1962, jogando no estádio Aníbal Brito e vice-campeã durante três temporadas do Campeonato da Liga do Mandacaru e tricampeã do Campeonato de Master, realizado na década de 90 em Jequié.
Em 1985, o Mandacaru conquistou o seu principal título, quando tomou-se campeão do Campeonato de Futebol Amador de Jequié na categoria principal, vencendo o Atlanta por 2 X 1 com a equipe formada naquela temporada por: Supapo, Missinho, Valtinho, Roberto e Samuel. Bajara, Getúlio e Nem. Heraldo, Alagoano e Samuel, época que eram diretores: Missinho, Nico, Zinha, Vilobaldo, Getúlio e Samuel.

E. C. Mandacaru, vice-campeão do primeiro turno do
Campeonato da Liga Desportiva do Mandacaru em 1982.
Em Pé: Mico, Missinho, Turiba, Supapo, Pinheiro, Samuel, Gibi, Josasfá, e Salate.
Agachados: Fio, Tui, Zé de Bara, Nene, Robson, Dai e Gemir.



E. C. Mandacaru, vice-campeão da L. D. J. R no ano de 1984.
Em Pé: Zé do Doce, Missinho, Waltinho, Bajara, Adilson, Banana, Dorgival, Alvino e Zinha.
Agachados: Vaval, Eraldo, Alagoano, Nen e Beneval.
E. C. Mandacaru no ano de 1987.
Em pé: Pedrinho, Nengo, Missinho, Supapo, Guerreiro e Tonhão.
Agachados: Tuco, Gazo, Eraldo, Joventino, Nen e Domingão.
E. C. Mandacaru, vice-campeão do Campeonato do Joaquim Romão em 1988.
Em Pé: Missinho, Guerriro, Josuel, Ronaldo, Supapo e -----.
Agachados: Eraldo, Getúlio, Copiro, Bicói, e  Nengo.

O time foi ainda campeão do torneio denominado “Sol de Verão”, disputado no campo do cururu, durante o segundo semestre dos anos de 1983 e 84 no bairro do Joaquim Romão e além disso, campeão do Campeonato do Joaquim Romão, no campo do Cururu em dezembro de 1985, quando venceu o time do Menudo por 2 X 1, com gols de Dai e Bicói. Foi também campeão do Campeonato de Futebol de Salão de Máster, disputado no Ginásio de Esportes Aníbal Brito, época que jogava no time: Getúlio, Zé de Bara, Missinho, Kirica, competição que a equipe participou durantes três anos e além disso foi campeão do Campeonato do Mandacaru em 1987, tendo como base jogadores do bairro.

E. C. Mandacaru, campeão de Master Jequieense de 1991.
Em pé: Bacalhau, Cambuí, Botota, Missinho, Nelsinho, Moreira, Nelsão, Zandoney, 

Samuel, Djalma, Vilobaldo e Zinha.
Agachados: Niva, Toninho, Lunga, Eraldo, Getúlio, Locrota, Nen, Zé de Bara, 

Bira, Ton, Cacau e Léo.
E. C. Mandacaru, campeão de master Jequieense no ano de 1992.
Em Pé: Neguinho, Missinho, Nelito, Samuel, Djalma, Toninho, Dorgival e Zinha.
Agachados: Zé de Bara, Vaval, Getúlio, Toinho Coquita, Valfrêdo, Edinho e Eraldo.
E. C. Mandacaru, vice-campeão do primeiro turno de master Jequieense de 1993.
Em Pé: Zinha, Djalma, Toninho, Ete, Batara, Nelito, Missinho, Neguinho e Samuel.
Agachados: Eraldo, Zé de Bara, Ede, Vaval, Nen, Toinho Coquita e Jorge Nanico.
E. C. Mandacaru, campeão de master  Jequiieense em 1994.
Em pé: Samuel, Missinho, Nelito, Mario Nêgo, Zandoney, Bajara , Toninho e Zinha.
Agachados: Eraldo Getúlio, Zé de Bara, Dilson e Jorge Nanico. 

Os garotos: Bola Sete, Jerfinho, Binho e Erick.
O time do Esporte Clube Mandacaru encerrou suas atividades do time principal no segundo semestre de 1988, entretanto a equipe máster continuou atuando até o ano de 1994. O Mandacaru teve vários presidentes durante esta brilhante trajetória. O primeiro foi Hercules Alves Meira e em seguida outros baluartes como: Miguel Cruz, Deraldo Martins, Zequinha Caroso, Leopoldo. Gervásio (Géu), Guilherme Braga, Alvino Cedraz, Getúlio da Luz Ferreira, Samuel Barbosa, Janildo Andrade, Josafá Rodrigues, José Carlos da Luz Ferreira e Admilson Rodrigues da Silva e muitos importantes treinadores como: João Andrade, Saturnino (Satu), Zezinho, Bebe, Ananias, Nazaré, Zé do Doce, Zequinha Caroso, Hizidoro Manoel do Carmo, Manoel Costa e Josafá Rodrigues, listas que certamente não conta todos que presidiram e trainaram a equipe.
Neste ano de 2019, os antigos e novos abnegados juntaram forças e para a alegria dos seus torcedores e do futebol amador de Jequié, conseguiram que o Esporte Clube Mandacaru voltasse ao cenário futebolístico da nossa cidade, retorno que está acontecendo coincidentemente também em uma oficina de um presidente do clube. A estreia acontecerá no dia 12/05/2019 no Campeonato do Mandacaru e conforme Missinho não haverá treinamentos, apenas pretende fazer um amistoso. O time hoje tem aproximadamente 20 jogadores como: Didi, Zó, Naná, Vina e será dirigido por uma comissão formada pelos seus diretores.
No término da entrevista Missinho agradeceu aos colaboradores e proprietários da Central das Bebidas, Edísio Esportes, Silvino, Mauripan, Sucão, vereadores: Colorido e Guina. Deputado Zé Cocá e muitos que individualmente contribuíram para possibilitar a volta do Esporte Clube Mandacaru.
No final da matéria, Charles Meira adicionou uma a conversa enviada por Petrônio, jogador do Mandacaru na década de 60.

Petrônio, vice campeão jogando no time do Mandacaru  no ano de 1969.

Petrônio: Obrigado Guilherme, se o Jequié tivesse um presidente igual a você, estaríamos sempre na primeira divisão e também um atacante matador como Dilermando, não tinha para ninguém.



Guilherme Braga, presidente do E. C. Mandacaru no ano de 1969.
Guilherme Braga: Obrigado Petrônio pelo elogio; mas sabemos que não existe bom dirigente se não houvesse um bom time e o nosso Mandacaru chegou a vice em 1969, pois além de você contávamos com mais 10 companheiros bons e unidos, que veio formar um bom time só perdendo pra o Flamengo, que era imbatível, pois era a seleção de Jequié, com Edmilson, Tanajura, Dilermando, Maíca e outros. O Jequié tem que ter o apoio do prefeito junto com os empresários e contratar bons jogadores, como tá não vai a lugar nenhum. Forte abraço.