sábado, 9 de novembro de 2019

Carlinhos do Jequié. Vale a pena conhece-lo.

Carlinhos, zagueiro da seleção de Jequié em 68 e 69 e do time da Associação Desportiva  Jequié na década de 70.

Jequié continua revelando gente nova e cheia de futebol. E do bom. Você quer mais um exemplo? Pois bem, quando você tiver a chance de ver Jequié jogar, preste atenção no zagueiro centra. Seu nome é Carlinhos, um rapaz de 24 anos, que joga certinho de verdade. É a tranquilidade do time. Passar por ele é difícil, o menino é um craque.
Carlinhos é do interior e começou naqueles babas que a gente faz em qualquer terreno de esquina. Aliás a maior parte dos bons jogadores começam assim, Jogando na várzea. Carlinhos é um moço simples, de poucos hábitos e com muita vontade de vencer na vida. Escolheu o futebol e faz tudo para conseguir um lugar entre os bons jogadores da Bahia. Jogou durante os anos de 68 e 69 pela seleção de Jequié no torneio Intermunicipal. Foi aí que ele começou a mostra que é bom de bola. Quem não se lembra da última partida entre Jequié e Cachoeira, no campinho da Graça? Aquele 3 a 2 faz até hoje Cachoeira chorar de raiva. Carlinhos foi um dos melhores do jogo. Bate bem na bola, tem um preparo físico excelente e faz a cobertura da defesa toda. No campeonato baiano tem se constituído num dos melhores do time. Assim como Tanajura e Dilermando, ele é um ídolo da torcida do Jequié.
Conheça Carlinhos mais de perto. Ele vai contar o que é preciso fazer para jogar bem, numa defesa:
- Não ficar nervoso e ter muita confiança em si, são pontos essenciais. Eu não gosto de bater, prefiro ir sempre na bola, procurando desmanchar uma jogada, sem atingir o adversário. Às vezes é preciso a gente ser mais duro, entrar com mais vontade, mas não com intenção de machucar ninguém. Nunca fui e nem serei desleal. Carlinho gosta de jogar o que sabe. Admira muitos zagueiros de área, mas não chega a imitar nenhum. É sua própria vontade de fazer tudo certo, que na hora da partida ele põe em prática.
- Temos bons zagueiros na Bahia. Romenil, Mário Braga e tantos outros. Mas o melhor de todos pertence ao próprio Jequié:
Hugo. É pena que ele tenha se machucado e esteja afastado do campo. Estamos torcendo para Hugo voltar depressa. Ele ajuda e muito a defesa. Sobre ficar ou não no time do Jequié, Carlinho disse que até agora está muito bem. É claro que mais tarde, ele pode passar para um time de mais cartaz, porque o dinheiro é necessário para todo mundo:
- Aos poucos estamos aprendendo a sermos profissionais. Nosso time está numa fase entre o amadorismo e o profissionalismo e é natural. Entramos este ano no campeonato e não podemos esquecer tão depressa o amadorismo. Como todo jogador profissional, temos que pensar em dinheiro. Temos uma profissão como outra qualquer e queremos sempre ter o melhor para nós.
Carlinhos tem passe preso ao Jequié. Durante o campeonato de 70, ele vai ser mesmo do time, para o ano, ninguém sabe. Pode ser que ele fique ou pode acontecer sair. De qualquer maneiro seu bom futebol continuará. Em Jequié ou em outro lugar qualquer.
Agora você tem mais um motivo para ver o time de Jequié. Preste atenção em Carlinho. Da gosto ver o garoto jogar futebol.

Nenhum comentário:

Postar um comentário